9º dia da Novena

1098030_505826802820744_1073785695_n

Processos para sua Canonização

Embora o venerado Pe. Eymard tivesse deixado aos seus filhos uma preciosíssima herança de exemplos e de virtudes exímias, e o tesouro das suas constituições cheias de seu espírito Eucarístico, não foi possível aos seus religiosos iniciar imediatamente a causa de sua Beatificação. Somente em fins de 1899 se pode dar início aos trabalhos necessários com o processo informativo. E no dia 11 de junho de 1922 o Papa Pio XI fazia publicar o Decreto que reconhecia a heroicidade das virtudes do Venerável Pedro Julião Eymard.

Levou-se adiante o processo para a Beatificação.

A 12 de julho de 1925, na Basílica de São Pedro, ao canto do “Te Deum”, a imagem seráfica do Pe. Eymard se elevava nos fulgores da glória, e a luz de um novo Bem-aventurado vinha constelar o Céu da Igreja.

Enfim, após 37 anos de sua beatificação, o Santo Padre João XXIII mandou publicar no dia 15 de julho de 1962 o Decreto reconhecendo a autenticidade dos dois milagres propostos à Sagrada Congregação dos Ritos para sua canonização.

Canonização – 9 de dezembro de 1962

A nove de dezembro, após a conclusão do primeiro período do Concílio Vaticano II, na Basílica de São Pedro, centro da Igreja Católica, o Santo Padre João XXIII em magnífica solenidade, com definição infalível, declarava que o Pe. Eymard podia ser venerado entre os Santos da Igreja Universal.

João Paulo II inscreveu seu nome no calendário da Igreja e fixou sua festa no dia 02 de agosto, reconhecendo em São Pedro Julião Eymard um Apóstolo da Eucaristia.

São Pedro Julião Eymard, rogai por nós.

Adicionar a favoritos link permanente.

Comentários fechados.