Leituras próprias da Missa de São Pedro Julião Eymard

2 de Agosto
São Pedro Julião Eymard – Solenidade

I Leitura: Eclo 50, 7-19
Leitura do Livro do Eclesiástico

Como brilha o sol radioso, assim o Sumo Sacerdote resplandeceu no templo de Deus.
Ele era como o arco-íris brilhando nas nuvens luminosas;
Como a flor da roseira em dia de primavera;
Como os lírios à beira de uma corrente de água;
E como o incenso que exala seu perfume nos dias de verão;
Como um fogo que lança centelhas, como o incenso que queima no fogo;
Como um vaso de ouro maciço, adornado de pedrarias;
Como uma oliveira cujos rebentos crescem, e como um cipreste que se ergue para o alto.
Assim aparecia ele quando se cobria com o manto de aparato, e revestia os ornatos de sua
dignidade. Subindo ao altar santo, honrava os santos ornamentos.
Conservando-se de pé junto do altar, recebia as partes das vítimas da mão dos sacerdotes;
E os seus irmãos o rodeavam como uma coroa.
Como uma plantação de cedros no monte Líbano.
Como os galhos de uma palmeira, todos os filhos de Aarão, mantinham-se em volta dele
em sua magnificência. A oblação do Senhor era apresentada pelas suas mãos diante do povo de Israel; Quando terminava o sacrifício no altar, a fim de enaltecer a oblação do rei Altíssimo, ele estendia a mão para a libação, e espargia o sangue da videira;
Derramava ao pé do altar um perfume divino para o príncipe Altíssimo.
Então os filhos de Aarão manifestavam-se com exclamações, e tocavam trombetas de
metal batido: faziam ouvir grandes clamores para se fazerem lembrados diante de Deus.
E todo povo se comprimia em multidão, e caía com a face por terra, para adorar o Senhor
seu Deus, e dirigir preces ao Deus todo-poderoso, o Altíssimo.
Palavra do Senhor!

 

Salmo Responsorial – Sl 72(71)

Refrão: Todas as nações se prosternarão diante do Senhor. (bis)

1. Ó Deus, dai a este rei vossos poderes,
Vossa justiça a este Filho de rei:
Julgue ele vosso povo com justiça,
Governe vossos pobres com equidade. R.

2. Das montanhas virá a paz para o povo,
ela virá das colinas, graças à justiça!
O rei defenderá o direito dos humildes,
Salvará os filhos dos pobres. R.

3. Florescerá em seus dias a justiça
E a plenitude da paz até o fim das luas.
O rei dominará de mar a mar
E desde o rio até os confins da terra! R.

 

São Pedro Julião Eymard – Solenidade
II Leitura: I Jo 4,7-16
Leitura da primeira Epístola de São João

Caríssimos, amemo-nos mutuamente, porque o amor vem de Deus,
e todo aquele que ama é gerado por Deus e conhece a Deus.
Quem não ama não aprendeu a conhecer a Deus, porque Deus é amor.
Eis como se manifestou o amor de Deus em nós:
Deus enviou ao mundo seu único filho, para que por seu meio tivéssemos a vida.
Eis em que consiste o seu amor: que não fomos nós que amamos a Deus, mas Ele que
primeiro nos amou, e que enviou seu Filho, vitima de expiação por nossas faltas.
Irmãos bem amados, se Deus nos amou tanto, devemos nós também, amarmo-nos uns aos
outros. A Deus, ninguém jamais O viu. Mas, se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós e seu amor em nós é perfeito.  Nisto conhecemos que estamos Nele e Ele em nós; porque nos dá seu Espírito.  Quanto a nós, vimos e demos testemunho de que o Pai enviou Seu Filho como Salvador do mundo. Quem reconhece que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece nele e ele em Deus. Quanto a nós, nós conhecemos o amor que Deus tem por nós e nós cremos Nele. Deus é amor; aquele que permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele.
Palavra do Senhor.

 

2 de Agosto
São Pedro Julião Eymard  – Solenidade

Leitura do Santo Evangelho segundo São João 6,55-69

Naquele tempo, disse Jesus às turbas dos Judeus:
“Minha carne é verdadeiramente comida e Meu sangue verdadeiramente
bebida. O que come a minha carne e bebe o meu Sangue, fica em Mim e Eu nele.
Assim como me enviou o Pai que vive, e Eu vivo pelo Pai, do mesmo modo o
que Me come, também viverá em Mim. Este é o Pão que desceu do Céu.
Não é como o maná, que vossos pais comeram e morreram; o que come deste
pão viverá eternamente.” Estas coisas, disse Jesus na sinagoga, ensinando em Cafarnaum.
Muitos dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: “Dura é esta linguagem, e, quem a poderá ouvir?” Jesus , conhecendo que murmuravam disto seus discípulos, disse-lhes:
“Isto vos escandaliza? Se então virdes o Filho do Homem subindo aonde
estava antes? O Espírito é que vivifica, a carne nada vale. As palavras que vos tenho dito
são espírito e vida. Mas há alguns de vós que não crêem.”
É que sabia Jesus , desde o princípio, quais eram os que não criam e quem O
havia de entregar. E dizia: “Por isso vos disse que ninguém pode vir a Mim, se não for dado por meu Pai.”  Desde então, muitos dos seus discípulos se afastaram e já não andavam com
Ele. Disse, pois, Jesus aos doze: “Porventura, quereis vós também retirar-vos?”
Respondeu-Lhe, então, Simão Pedro:  “Senhor, a quem iremos? Tu tens palavras de vida eterna. E nós cremos e conhecemos que Tu és o Cristo, o Filho de Deus.”
Palavra da Salvação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *