Carta dos Zeladores da Guarda de Honra

 

A cada vez que nos aproximamos do Mistério da Santíssima Eucaristia, Jesus Vivo e Presente em nosso meio, mas Oculto sob as Santas espécies do Pão e do Vinho, o nosso coração inclina-se respeitoso e repete humildemente:  “CREIO, SENHOR, MAS AUMENTAI A MINHA FÉ!”

E no nosso dia-a-dia, quando a provação bate à nossa porta e sentimo-nos fraquejar,

sempre de novo havemos de repetir:  “CREIO, SENHOR, MAS AUMENTAI A MINHA FÉ!”

Estamos às portas do SANTO NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

Ao contemplá-LO Pequenino deitado numa manjedoura, o que havemos de fazer, senão exclamar:  “CREIO, SENHOR, MAS AUMENTAI A MINHA FÉ!”?

 

São Pedro Julião Eymard nos convida a esta contemplação de fé e de amor:

“Vamos, meus irmãos, como os pastores, nós escutamos o Anjo; como os Magos, vimos a estrela, vamos por nossa vez adorar o recém-nascido, vamos oferecer-Lhe também nossos pequenos presentes, vamos instruir-nos nesta escola sábia.

Vinde aqui, pobres, vós aprendereis a bendizer vosso estado, a moderar vossas impaciências e a acalmar vossas murmurações. Regozijai-vos vendo-vos no mesmo estado em que Se encontra vosso Salvador.

Vinde ao presépio todos vós que sofreis. Se vosso Deus escolheu os sofrimentos, é porque Ele quer ensinar-nos que é somente através deles que se merece o Céu.

Vinde ao presépio, grandes e poderosos do século, Aquele que aí chamou pobres, chamou também ricos. Não, cristãos, quem quer que sejais e seja qual for o lugar que ocupais no mundo, Deus não reprova vossa condição, mas Ele reprova somente os abusos e as desordens, a dureza e a impiedade. Não, essas riquezas e esses bens que são para tantos outros uma pedra de tropeço perigosa e prenúncios do inferno, para vós, meus irmãos, serão somente, poderosos meios de salvação. Não, essas maldições pronunciadas contra as riquezas não vos dizem mais respeito, desde que as partilheis com Jesus Cristo na pessoa dos pobres. Jesus Cristo tem fome nos pobres. Jesus Cristo tem frio nos pobres. E socorrendo os pobres, é Ele mesmo que vós socorreis, Ele mesmo no-lo assegura [cf. Mt 25,40].

Ide, pois, meu querido irmão, transportai-vos hoje a qualquer novo estábulo de Belém e lá, cedendo à bondade e à sensibilidade de vosso bom coração, enxugai as lágrimas deste novo Jesus que chora, aquecei esta pobre criança transida de frio, dai de comer a esta outra que morre de fome. E Aquele que recompensa um copo de água fria dado em Seu nome vos recompensará ao cêntuplo já desde esta vida, e na outra com uma glória imortal e uma felicidade sem fim. É o que vos desejo. Amém!”


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *